Autenticidade

Atualizado: Abr 21


Martha Medeiros escreveu uma frase que eu amo e que me define bem.

.

“Nada tenho a ver com não gostar de mim. Me aceito impura, me gosto com pecados e há muito me perdoei.”

.

Lutamos arduamente para me adequar as expectativas alheias.

Omitimos nossas opiniões.

Ignoramos nossas dores.

Desconsideramos nossas decepções.

Guardamos tudo em uma gaveta no fundo da mente e do coração.

Até o dia que procurando nossa essência lá dentro, eu não encontraremos.

Ela vai se perder em meio a tanto desrespeito ao nosso sentir.

Quando aprendemos a nos amar verdadeiramente, com o nosso melhor e o nosso pior, passamos a encarar de frente nossas dores.

A aceitar nossas falhas.

E entendemos que errar e acertar faz parte da vida.

Aprendemos a nos perdoar por não sermos perfeitos e por não agradar a todos e passamos a não fingir para ninguém.

Se sentir, demonstre.

Se doer, grite.

Se pisar na bola, desculpe-se.

E quando se arrepender de alguma coisa, esclareça.

Viver a plenitude de ser quem é , é encontrar a verdadeira felicidade.

Alguns vão achar que é arrogância.

Eu chamo de maturidade.

Paga-se um preço por ser assim. Mas aceite pagá-lo pela liberdade de SENTIR sem culpa.

Se ame ao ponto de se aceitar com sua pureza e com os seus pecados.

Ser feliz é ser fiel a quem se é.

(SheilaGuedes)


12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo