segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

O que te limita?


Oi gente, como vão?

Estou com o blog meio abandonado, mas aos poucos pretendo voltar a utiliza-lo para compartilhar com vocês alguns textos e reflexões.  O que acham?
Então, para começar, proponho uma reflexão:

O que te limita?



O pensamento.
Ele me limita quando acredito que sou o que penso ser e não o que possa a vir a ser. 
É estranho pensar que nossa cabeça é nossa maior inimiga, não é?
Mas, tenha certeza, se tem alguém que pode jogar contra você e te limitar ao ponto de te paralisar é o teu pensamento.
É angustiante quando acreditamos que somos incapazes de conseguir realizar alguma tarefa ou feito. O medo pode te limitar. Sair da zona de conforto é sem sombra de dúvida, o maior desafio que alguém pode assumir consigo mesmo. 
Eu tenho pensado muito nisso. Em como nos limitamos a situações que podem ser mudadas a partir da nossa mudança de comportamento. O problema é que é difícil sair de dentro da redoma que nossos pensamentos muitas vezes nos colocam. 
Eu não consigo escrever.
Eu não consigo aprender um novo idioma.
Eu não consigo vencer minha timidez.
Eu não consigo fazer aquela viagem só.
Eu não consigo viver sem a aprovação do outro.
Eu não consigo...
Eu não consigo...
Sim, nossos limites são rasos e frágeis. 
Quebrar o vidro que nos protege, é algo realmente difícil. 
Errar.
Ser julgado.
Enfrentar nossos medos.
Nos amar como somos.
Aceitarmos que somos imperfeitos, e que a perfeição é uma utopia.
Saber que precisamos sair de dentro de nós mesmo, e encarar a vida que bate violentamente contra nossa coragem frágil e imatura é algo assustador,mas extremamente necessário.
Esse texto não tem nenhum propósito especifico.
São apenas palavras soltas, frutos da sensação de incapacidade que me acomete vez ou outra. E então, eu olho bem para dentro de mim e escrevo.
É assim que burlo meus medos.
É assim que me liberto da minha redoma.
Quem me limita sou eu.
E eu, me recuso a aceitar que tenho limites.

(Sheila Guedes)





Nenhum comentário:

Postar um comentário