quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Impotência.


Oi gente!

Tô meio sumida, mas é que a vida anda corrida demais.

Passando pra deixar um texto curtinho para reflexão.

Espero que curtam.


Impotência

Não, não é da impotência sexual que vou falar. Apesar de saber que este tipo de impotência também é algo capaz de destruir uma pessoa e sua autoestima.
 Hoje quero falar do sentimento de impotência.
A impotência diante de uma fatalidade que rouba repentinamente algum ente querido de nós. A impotência de ver alguém que amamos sofrendo por algo que não está ao nosso alcance ajudar. A impotência diante de um problema que precisa ser resolvido mas não está em suas mãos. 

A impotência diante da dor de um filho Talvez esta seja a pior delas -.
Amamos sem medida nossos filhos e talvez por isso, a sensação de impotência diante de uma doença,  de uma dor  ou de um problema que só cabe a eles resolver nos deixe exaustos e consumidos por uma sensação terrível de fracasso. Nos deixa impotentes. E que sensação terrível é sentir-se impotente... Só sabe, quem passa.
Hoje é dia de finados. 
Dia em que muitos param para homenagear seus mortos, seja em uma visita ao cemitério, ou em dedicar um minuto do seu tempo para uma oração. E, talvez por isso, eu esteja escrevendo este texto. Para que todos que leiam entendam que não podemos mudar o curso da vida ou dos problemas e que sentir-se impotente é algo realmente doloroso e na maioria das vezes inevitável , então, devemos realmente tentar viver os instantes que temos, pois a vida é efêmera  demais para deixarmos para amanhã o que podemos fazer hoje, e quando a vida te der uma rasteira daquelas, tente vencer a sensação de que nada pode ser feito. Reaja e lute para vencer a sensação de impotência que vai te consumir. Se no final, você realmente não puder fazer nada para mudar a situação, respire fundo e tente lembrar que nada é permanente. Nem mesmo nós.


Beijo gente!

Sheila Guedes 


Um comentário: