terça-feira, 6 de outubro de 2015

Letras: Contos: Páginas da vida - Parte I

Oi gente!

Bem, eu estava no trabalho conversando com algumas mães sobre o primeiro amor. E no meio do papo, alguém me deu uma sugestão que ficou martelando na minha cabeça...
Começo hoje a contar uma história muito especial e verdadeira...
Espero que curtam e acompanhem.



Ela era apenas uma menina sapeca. Gostava de brincar de carrinho e não de boneca. Subia em árvores e lá construía seus castelos , lia seus livros e sonhava.
Era ela quem liderava a turma da rua onde morava. Todos a seguiam e confiavam em sua palavra. Nas festividades, como o Natal ou o São João, era sempre ela que organiza a comemoração das crianças, apesar de também ser uma.
Em casa era bem responsável. Tinha verdadeira obsessão pelas palavras. Amava seus livros mais do que tudo. 
Ela foi crescendo....
Quase adolescente, ainda era a líder do grupo de amigos. Seu corpo miúdo e franzino, era motivo de deboche na escola, mas quem disse que ela se importava?!
Exibia com orgulho suas sardas resultado de muitas horas brincando ao sol.
Ainda era apaixonada por livros, só que os contos de fadas foram ficando para trás. Agora, adolescente, era a vez dos romances. 
Não tinha grana para comprá-los, mas juntava com muita determinação o dinheiro do lanche da escola e quando comprava seus livros ela os lia sem pressa, saboreando cada palavra. Depois ela os trocava por outros nos sebos. 
Assim ela foi crescendo...cercada por palavras e sonhos.
E  do nada, sem aviso prévio, começou a idealizar o amor. 
Ah...o amor...
Aquele amor romântico dos livros lidos nas madrugadas ou na copa da sua árvore favorita que ficava no quintal de casa.
Seu corpo foi se transformando. Sua cabeça também.
Agora ela queria voar. Ser livre.
Estudava muito e sempre conseguia boas notas. Aprendeu desde cedo que a vida é a consequência dos seus atos. Ela queria comprar livros novos e não precisar trocá-los. Queria conhecer aqueles lugares mágicos descritos nas páginas dos livros que lia. Queria encontrar seu amor.
O tempo passou e agora ela é uma adolescente, mas essa fase não foi conturbada para ela. Não  teve rompantes de rebeldia. Era pacifica, mas ninguém conseguia demovê-la de um objetivo, quando possuía um.
Seu corpo agora não era tão franzino, e apesar de pequeno, era ágil e belo.
Seu rosto foi se modificando. Seu ar de menina levada foi sendo substituído pela expressão de teimosia, tão presente em seus trejeitos.
Ela agora é uma jovem de quatorze anos.
Ainda sonha com seu amor, e ainda devora as palavras dos seus preciosos livros com sofreguidão.
Decidiu trabalhar. Seus pais foram contra. Ela usou de toda sua determinação e teimosia para convencê-los.
Ela queria voar.
Nas páginas dos seus livros.
No sonho de conhecer novos lugares.
No desejo de encontrar seu grande amor.
E, no final daquele ano, bem no dia do Natal, ela o olhou e sentiu seu coração acelerar. 
Não entendeu o que estava sentindo.
Ele era seu amigo.
Mas ela o olhou diferente.
E na noite de Natal....ela o beijou.

Continua...



Beijo em todos!
Sheila Guedes


Nenhum comentário:

Postar um comentário