terça-feira, 21 de julho de 2015

Letras: O fundo do poço




Oi gente!

Texto para reflexão.

Espero que curtam.




O fundo do poço

            Dias atrás, estava assistindo um programa de entrevistas na tv e o tema era a depressão. Os convidados eram pessoas que têm destaque na mídia e pessoas comuns que através de depoimentos relatavam como entraram em depressão e como saíram dela.
            Uma frase que um dos convidados disse ficou martelando na minha cabeça: você não sabe o que é chegar ao fundo do poço até estar lá e continuou: Só quem sofre desse mal é quem sabe o quão fundo é esse poço.
            O fundo do poço pra ele foi a depressão. Uma doença séria e a meu ver o grande mal do século. Eu entendo o que ele quis dizer, mas discordo. 
            Eu já estive no fundo do poço. 
           Muitas vezes apesar de nunca ter tido depressão. 
           Não é um lugar pitoresco onde gostei de estar.
            Não é.
           Mas ter estado lá me tornou ou contribuiu para que eu tenha me tornado a pessoa que sou.
           Já me senti só. Desamparada. Incompreendida...
          E cheguei a perder a esperança muitas vezes.
         E em todas às vezes eu pensei: estou no fundo do poço.
             O fundo do poço é a sensação de que nada pode ficar pior. Mas é justamente lá que entendemos que não há fundo. A única coisa finita é a vida, o poço é apenas a oportunidade que a vida dá para olharmos para nós mesmos e constatar que se chegamos lá podemos encontrar o caminho de volta. Basta olhar para cima, respirar fundo e acreditar em nós mesmos.
            O poço nunca me fez mal. Amadureço muito com as coisas boas ou ruins que me acontece. Todas as vezes que estive lá eu pensei: eu sou mais forte do que isso. E sair do poço traz uma sensação de superação que dá sentido à vida e me torna sempre mais forte do que era quando entrei.
            Nada acontece por acaso. Se você esta se sentindo no fundo do poço pense que aprendizado você pode tirar desse lugar solitário e quando sair olhe pra traz e curta a sensação de vitória por ter saído.
É claro, se possível, pegue outro caminho pra não cair lá novamente.
(Sheila Guedes, 21/07/2015)



E para concluir, um poeminha muito verdadeiro que eu amo.


DA FELICIDADE

Quantas vezes a gente, em busca da ventura,
Procede tal e qual o avozinho infeliz:
Em vão, por toda parte, os óculos procura
Tendo-os na ponta do nariz!

QUINTANA, Mario. Espelho mágico. Ed. Globo. 2005.

É isso gente.
A felicidade está dentro de nós, é só saber encontrá-la.

Beijo e obrigada pela visita.
Sheila Guedes

Nenhum comentário:

Postar um comentário